Mundo Cambalhota
Mundo Cambalhota
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Baixa autoestima infantil: quais os sinais que merecem a atenção dos pais?

Baixa autoestima infantil: quais os sinais que merecem a atenção dos pais?
Equipe Mundo Cambalhota
jul. 2 - 4 min de leitura
000

Você sabia que crianças podem desenvolver baixa autoestima? Confira alguns indícios que são imprescindíveis e que os adultos precisam ficar atentos para identificar esse sentimento. 

A baixa autoestima não está presente apenas na vida dos adultos, mas pode abranger também as crianças e adolescentes. E quando os pequenos não se sentem confiantes, várias áreas podem ser afastadas, como os estudos, amizades e o próprio desenvolvimento infantil.

Segundo a American Academy of Pediatrics, é fundamental que os pais proporcionem novos desafios e incentivem pensamentos positivos ainda na infância, já que isso auxilia na autoconfiança, a lidar com falhas e a persistir nas tarefas que erram. 

No entanto, também é preciso ficar atento, pois as manifestações são diferentes em cada idade e fase de desenvolvimento. De acordo com o psicólogo e pedagogo, Deiver de Lima Greboggy, para as crianças de até um ano e meio é difícil observar reações que demonstram problemas de autoestima infantil. 

Para o profissional, nessa fase é quase inexistente ou sutil, “visto que elas usam do choro para se expressarem, ainda estão desenvolvendo consciência sobre seu corpo e uma construção sobre si mesmas, que é de responsabilidade dos pais a partir dos cuidados emocionais como carinho, amor e afeto, e dos físicos, como alimentação e higiene”, afirma o psicólogo. 

Nas demais fases de crescimento, a educadora parental Telma Abrahão, autora de “Pais que Evoluem”, explica que os responsáveis pela criança precisam prestar máxima atenção, principalmente, para o comportamento, como o  choro que aparece em momentos de frustração. Ou também quando ela sempre recusa ou tem medo de brincar com outras crianças. 

Nesses momentos, é indispensável que os pais abram espaço para o diálogo e também para a escuta, pergunte os motivos do pequeno estar assim, sempre mantendo o tom de voz calmo.   

 

Por que isso ocorre?

A baixa autoestima infantil, além de estar ligada à repetição das ações dos pais, também está relacionada com a maneira que os pequenos estão sendo ensinados a enfrentar situações ligadas a percepção de seus próprios valores. 

E de acordo com Telma Abrahão, existem duas circunstâncias que mais se destacam nesse momento do desenvolvimento, quando a criança é criada por pais superprotetores ou quando eles são extremamente rígidos. 

No primeiro, a criança se sente impedida de trabalhar a própria autonomia, além de se sentir incapaz, já que a mensagem passada é a de falta de confiança dos pais. Quando há um controle e autoritarismo extremo, eles consideram apenas o que sentem e pensam, desconsiderando os sentimentos dos pequenos. Assim, acabam apenas punindo os erros, fazendo com que o filho fique inseguro e com medo de falhar. 

 

9 sinais de atenção

Lembre-se que é importante procurar ajuda profissional sempre que necessário e ficar de olho, caso, o filho apresente sinais como:

  • Preocupação excessiva ou sensível diante de opiniões dos outros;

  • Desistência após começar algo ao ficar frustrada;

  • Evitar tarefas desafiadoras sem ao menos tentar;

  • Não acreditar de que irá conseguir concluir uma tarefa;

  • Se mostrar inflexível ou controladora, para esconder sentimentos de frustração;

  • Baixo desempenho escolar ou falta de interesse nas atividades que gostava de fazer;

  • Mudança constante de humor como, choro, tristeza, explosões de raiva ou silêncio;

  • Ter menos contato com os amigos;

  • Fazer comentários autocríticos se colocando para baixo.

 

Como posso ajudar na autoestima do meu filho?

1. Erros podem ser corrigidos com amor e carinho

Quando for corrigir um erro, é preciso fazer com que a criança entenda a situação.

2. Promovendo a responsabilidade

Para desenvolver autonomia, os pequenos podem participar mais das tarefas de casa.

3. Amor é tudo!

Se sentir amado ajuda no desenvolvimento da autoestima e da importância do carinho.

Além de todas essas dicas, é muito importante ensinar as crianças a lidarem com as frustrações, pois pode contribuir de forma positiva para a autoestima delas. Se na infância uma pessoa for criada com uma auto imagem elevada, será mais fácil lidar com os obstáculos no futuro. 


Denunciar publicação
    000

    Indicados para você