[ editar artigo]

Parentalidade positiva: o que é e como usar em ações do cotidiano

Parentalidade positiva: o que é e como usar em ações do cotidiano

Você sabe o que é a parentalidade positiva e a importância da metodologia na criação e desenvolvimento das crianças? 

O conceito de disciplina positiva ou parentalidade positiva foi concebido pela terapeuta Jane Nelsen na década de 80, possuindo como base as teorias da psiquiatria e psicologia elaboradas pelos austríacos Alfred Adler e Rudolf Dreikurs.

Nessa metodologia, a educação infantil é pautada na firmeza e também na gentileza, sem o uso de punições ou agressões físicas e verbais.

Dessa forma, a parentalidade positiva se embasa no respeito mútuo na relação entre pais e filhos, sempre prezando por uma educação construtiva. Sendo o comportamento parental orientado por firmeza, empatia e generosidade.

A filosofia possibilita aos pais olhar para seus filhos com mais humanidade, como indivíduos em desenvolvimento e que, por isso, necessitam de orientações e não comandos. O grande propósito é promover a formação da criança através da capacitação e do reconhecimento, estabelecendo limites e sem o uso de violência. 

Assim, para colocar a parentalidade positiva em prática é preciso esquecer os velhos paradigmas da educação, como o castigo e a autoridade. E se voltar para a observação e conhecimento do comportamento infantil para então conseguir oferecer meios para que os pequenos se desenvolvam e aproveitem todo o potencial de aprendizagem, com afetividade mas sem permissividade. 

Segundo a educadora Lua Barros, que estuda parentalidade positiva, "o afeto conduz todas as nossas ações. Quando nos regemos pelo afeto, tiramos qualquer ponto de violência na relação. Conduzir o comportamento da criança com firmeza e respeito é colocar essa autoridade sem autoritarismo", afirma a profissional.

 

Parentalidade positiva X punitivismo 

Apesar da parentalidade positiva permitir que as crianças assumam pequenas responsabilidades e determinadas tomadas de decisão, de acordo com a idade, é preciso esforço e dedicação por parte dos pais. No entanto, isso não significa uma ausência de limites para os filhos dentro dessa disciplina.

Para o psicólogo Alexander Bez, especialista em relacionamentos pela Universidade de Miami, diferente do que acontece no ambiente familiar que utiliza da educação punitiva, a disciplina positiva considera os limites como algo saudável e que devem ser estabelecidos, mas sem o uso de um comportamento ditatorial, imposições severas baseadas em castigos ou discursos de intolerância. 

Enquanto a criação rígida é usada por pais fechados ao diálogo, na educação positiva o que importa é uma comunicação construtiva e aberta, com base no respeito e no entendimento das diferenças. 

O psicólogo reforça que “‘na educação punitiva os pais se tornam controladores do comportamento da criança, que é ensinada e educada pelo medo, por ameaças e até mesmo por meio de dores físicas e emocionais. Já na parentalidade positiva deixamos claro para o filho que mesmo quando existe o erro ele é amado e respeitado”, afirma.

E como colocar a parentalidade positiva em prática?

Na prática, é necessário usar algumas estratégias para aplicar essa filosofia na rotina com os filhos, como conhecer a personalidade da criança e respeitar seus sentimentos, impor limites com empatia e disciplinar sem castigar. 

Todas essas ações são norteadas por alguns alicerces que sustentam a parentalidade positiva e precisam ser considerados, que são a segurança, a felicidade, a comunicação, os limites, as necessidades físicas, a fase de desenvolvimento e as emoções. 

Confira também 5 dicas que a Box Cambalhota separou para você e que podem ser aplicadas no dia a dia:

1 - Na bronca

Evite xingamentos quando seu filho fizer algo que te desagrada. Prefira explicar o porquê da atitude estar errada, sem apontar a criança como razão do problema. 

2 - Nas dúvidas 

Não fuja de perguntas que não sabe ou não quer responder, sempre faça um esforço e diga que não sabe, mas que vai procurar sobre o assunto.

3 - Nos desafios 

Sempre elogie as pequenas conquistas do seu filho e ensine que falhar também é normal, entenda que ele precisa de você para seguir em frente.

4 - No lazer

Promova atividades estimulantes como jogos e brincadeiras, e aproveite sempre para reunir toda a família. 

5 - No individual

Permita que os pequenos sintam e expressem afeto e carinho, dedique tempo de qualidade, invista em filmes e livros que transmitam pensamentos positivos. 

Como a parentalidade positiva visa proporcionar inteligência emocional, transformando crianças em adultos íntegros. Quem é educado dessa forma sempre entende os limites existentes em sua vida, agindo da mesma maneira na presença ou na ausência dos pais.

Mundo Cambalhota
Equipe Mundo Cambalhota
Equipe Mundo Cambalhota Seguir

Comunidade colaborativa para conectar pais e profissionais empenhados em desenvolver crianças melhores e mais felizes para o mundo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você