[ editar artigo]

Um jardim para chamar de seu: dicas para plantar em casa com as crianças

Um jardim para chamar de seu: dicas para plantar em casa com as crianças

Cultivar plantas em casa pode ser uma atividade muito relaxante e prazerosa, inclusive para as crianças, que adoram brincar com terra, folhas, flores e tudo que tem a ver com a natureza. Com a pandemia e o isolamento social, muitas famílias investiram na criação de uma horta caseira, que além de divertir os pequenos pode trazer benefícios e ensinamentos para toda a família.

"A jardinagem pode ajudar no desenvolvimento da criança em todos os sentidos. Com a visão, elas percebem as diferenças de formatos e cores das flores, das folhas, das frutas. Com o tato, elas podem sentir as diferentes texturas das plantas, da areia, da terra, dos galhos, do tronco de uma árvore e também os sabores das frutas, legumes, verduras. Ela pode também estimular o olfato através do perfume, do aroma das flores ou das próprias verduras", explica Jaqueline Bifano, psiquiatra infanto-juvenil.

 

Por onde começar?

Para quem está se iniciando agora no mundo das plantas e quer criar uma horta em casa ou no apartamento, é fundamental contar com algumas ferramentas:

  • Vasos grandes e pequenos
  • Terra já adubada
  • Sementes e mudas de sua preferência
  • Uma pequena pá e vassoura de ancinho (também chamado de rastelo)
  • Regador

No geral, as plantas devem ficar em local bem ventilado e iluminado, próximo às janelas ou na varanda, se possível. Além disso, é fundamental se informar sobre a rega da planta, pois cada uma possui necessidades específicas a respeito da quantidade de água.

Lembrando que para esta atividade não existe limite de idade. Desde bem pequenas, as crianças podem participar de alguma forma dos cuidados com as plantas. "Quando a Antonella completou uma certa idade, que eu podia levar ela para a grama para tomar sol, eu já mostrava as plantinhas para ela. Eu comecei uma horta e plantei árvores frutíferas por causa dela", conta Lilian Francis, blogueira (@papo_de_lar) e mãe da Antonella, de um ano e seis meses.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 163555437_538225150474913_4777571486864348327_n-2-575x1024.jpgAs plantas frutíferas são as preferidas da pequena Antonella

Lilian conta que quando está plantando, deixa a filha mexer na terra e pegar flores e a frutas, para que se familiarize com a atividade. "Ela gosta muito desse ambiente e já vai direto nas plantas com frutinhas. Eu deixo ela muito livre, pois percebi que, durante esse tempo de pandemia, o contato com a natureza e com as plantas fez toda a diferença para mim e para ela", relata a blogueira.

Plantas recomendadas para criar uma pequena horta

Tanto em uma casa quanto em um apartamento, é importante ter em mente que certos elementos são essenciais para o bom desenvolvimento das plantas, sendo eles: luz, terra, ar e água. A paisagista Nãna Guimarães aconselha os pais a começarem pelas plantas de desenvolvimento rápido, já que as crianças ainda estão exercitando a paciência. "É aquela lembrança de quando a gente coloca o brotinho de feijão no algodão e faz a experiência de vê-lo crescer", reforça Nãna.

A seguir, a paisagista recomenda algumas espécies fáceis de cuidar, que são mais seguras e indicadas para começar a prática de jardinagem com as crianças. Confira!

Capuchinha: de folhas e flores delicadas, a Capuchinha é considerada uma PANC (planta alimentícia não convencional). Por isso, pode ser cultivada em casa sem medo, já que não representa perigo algum para as crianças nem para os pets. "Eu sempre utilizo essa espécie nos jardins com crianças que eu monto, pois além de terem uma cor linda, são comestíveis", relata Nãna Guimarães.

Jabuticabeiras: para a paisagista, árvores pequenas e frutíferas são uma boa opção, pois além de serem de fácil cuidado, ainda podem proporcionar frutas para as crianças.

Pés de laranja kinkan: a laranjinha kinkan é um sucesso entre a criançada! Para Nanã Gumarães, deve-se cultivar plantas que posteriormente poderão ser usadas em receitas. Essa é uma forma de incentivar a participação da criança na atividade e mostrar que toda a dedicação dela rendeu bons frutos!

Verduras: seguindo o mesmo conselho de cultivar espécies alimentícias, a alface, a couve, a rúcula e tantas outras verduras também podem ser facilmente plantadas em uma horta caseira.

Lavanda: apesar de pouco popular, a paisagista destaca que a lavanda é uma planta que chama a atenção dos pequenos justamente pelo aroma potente e característico.

Ervas: as ervas e tempeiros também são otímas opções para começar a horta com as crianças, já que espécies como hortelã, alecrim e salsinha podem ser plantadas em vasos pequenos, possibilitando o cultivo até mesmo em apartamentos!

PLANTAS PARA SEREM EVITADAS: mamona, azaleias, copos-de-leite, alamandas, bico-de-papagaio, comigo-ninguém-pode, babosas, cactos e agaves. Algumas dessas espécies são tóxicas ou podem provocar riscos para as crianças. Por isso, caso tenha alguma delas que você goste ou queira cultivar, mantenha longe do alcance dos seus filho. "A principal recomendação é evitar as plantas que apresentem espinhos ou soltem 'leites', geralmente esse líquido é tóxico", afirma a paisagista.

Diversos benefícios

Além de deixarem o ambiente bem decorado e com mais vida, as plantas também colaboram para a educação dos pequenos. A psiquiatra infanto-juvenil, Jaqueline Bifano, listou algumas das vantagens que a jardinagem e o convívio com a natureza pode trazer para as crianças.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é JAZ6335copy-1024x682.jpegA psiquiatra infanto-juvenil, Jaqueline Bifano, acredita que a jardinagem promove o desenvolvimento motor e mental das crianças. Foto: Créditos Leca Novo

Responsabilidade: Cuidar das plantas ensina a criança a saber que existem regras, pois tem que ter disciplina para aguar cada espécie. Mostra também que é importante aceitar as diferenças. "Por exemplo, algumas plantas vão gostar muito de sol, outras não vão gostar, vai ser melhor pra elas ficar na sombra, então isso é uma lição importante para os filhos", comenta Jaqueline.

Paciência: As plantas têm um ciclo, seja a plantinha de uma verdura ou de uma flor, e para cultivá-las é preciso exercitar a paciência. "A criança vai observar o crescimento da planta, desde o surgimento do broto até o desabrochar de uma flor, ou mesmo, o amadurecimento de um fruto. Então, elas podem aprender que tudo na vida tem um tempo para acontecer, para evoluir", destaca a psiquiatra.

Melhora na motricidade: Ao mexer nas plantas, os pequenos estimulam o desenvolvimento motor, desenvolvendo a motricidade e a coordenação.

Consciência ambiental: A importância das plantas, do meio ambiente e do cuidado com o nosso planeta são aprendizados que surgem ao cuidar de uma horta. "O que eu estou fazendo por ela hoje é para que no futuro ela possa respeitar os animais, respeitar a natureza e para ela entender também que a gente pode ter felicidade com coisas simples. Que a natureza, o quintal, as plantas e as árvores podem nos fazer bem!", reforça Lilian, mãe da Antonella.

Conhecer novos alimentos: Ao conhecer a origem das frutas e verduras que consumimos em casa, as crianças passam a se interessar mais por esses alimentos, facilitando o seu consumo. "Envolver as crianças na criação de uma horta caseira, serve de estímulo para que sigam uma alimentação mais saudável, já que elas vão querer comer o que plantaram, o que viram crescer", conclui a psiquiatra.

Leia também:

DIY: a importância do faça-você-mesmo para os pequenos
Falta de atividade física ou má alimentação: o que é pior para as crianças?

 

Mundo Cambalhota
Canguru News
Canguru News Seguir

A Canguru News é um portal de conteúdo sobre infância para pais, cuidadores e educadores. Aqui você encontra informação e inspiração para criar filhos melhores para o mundo.

Ler conteúdo completo
Indicados para você