Blog

- 04/12/2019

Você é corajoso?

Experimenta. Experimenta! É só um pedacinho.

Se tem uma palavra que criança escuta muito à mesa é “experimenta”.

Só que, quando um adulto diz “experimenta”, muitas vezes nós nem nos lembramos mais do que isso realmente significa. Você se lembra de quanta coragem é preciso para escolher algo novo? Qual foi a última vez que você experimentou algo novo ou fez alguma coisa pela primeira vez?

O ser humano gosta de previsibilidade e, por isso, vamos estabelecendo as nossas preferências e criando a nossa rotina. Prato preferido, restaurante preferido, melhor rota casa/trabalho. Tudo isso nos traz segurança e conforto, e dificilmente as pessoas abrem mão desse conforto para experimentar coisas novas. Sabe por quê? Porque temos medo de não gostar. De trocar o certo pelo duvidoso. E, para a criança, também é assim. “Por que trocar meu leitinho gostoso por algo que eu não sei o gosto?”. “Por que assistir um desenho novo se eu adoro esse?”.

E, muitas vezes, essa é uma grande agonia dos cuidadores. Como fazer a criança experimentar algo novo?

Experimentar não é engolir  

Um grande problema é a expectativa do adulto, que geralmente quer que a criança engula aquilo que está sendo oferecido. Queremos que comam pelo menos um pedacinho. É preciso entender que experimentar não necessariamente é colocar para dentro. Isso é engolir. Experimentar é testar, é
vivenciar as sensações.

Experimentar vem de dentro para fora

Experimentar é uma ação que depende de um movimento intrínseco do ser de se abrir e se colocar vulnerável a uma experiência, que pode ser boa ou ruim. E isso é assustador.

O medo de experimentar vem justamente do receio de não gostar. às vezes os pais falam:
“Experimenta! Se vc não gostar, vc não come mais.” E a criança, coitada, se não gostar vai ter que engolir essa experiência desagradável?! Sabe, eu fico pensando, e às vezes acho, que pode ter sido assim que nós aprendemos a ‘engolir sapo”.

Numa educação respeitosa, a margem de erro precisa ser maior: “Experimenta, se você não gostar você pode cuspir aqui no guardanapo”. Isso ensina a criança o respeito ao seu corpo, a importância da sua opinião e limite. Não é preciso engolir aquilo que não é bom ou que não te faz bem. Eu respeito que sua opinião seja diferente da minha. Você pode expressar a sua opinião de forma respeitosa (usando o guardanapo, nesse caso).

Faça o convite

Nós adultos podemos e devemos convidar a criança a experimentar. Mas nunca (nunca!) forçar ou enfiar algo na boca da criança. É preciso honrar a margem de segurança da criança. Isso é quando o indivíduo sinaliza que não gostou, ele para. Acaba. Não tem que continuar. Isso aumenta, e muito, as
chances de uma criança ou de qualquer pessoa (e até dos pets) experimentar alguma coisa, porque o respeito garante que a experimentação será agradável, mesmo que a sensação não seja.

No processo de experimentar, a criança usa os 5 sentidos. Ela olha e já decide internamente se
interessa ou não embarcar nessa expedição. Quando ela coloca a mão e experimentar essa sensação, se a tato for desagradável ela já quer parar aqui, se for agradável ela pode escolher avançar na experimentação. Pensando num alimento, a criança pode querer sentir o cheiro, e com essa sensação pode se desinteressar, ou pode trazer até a ponta das língua e decidir que na boca não vai entrar. Ou então, salivar e desejar se deliciar ainda mais na experimentação. A gente come com os olhos e também com o nariz, com a mão e até os ouvidos. Quem nunca salivou só de ouvir o barulhinho de pipoca na panela ou o da cebola caindo na panela para refogar?!

Seja corajoso

É preciso ser muito corajoso para experimentar uma novidade. Por isso valorize cada passo dado
pela sua criança, respeite cada recusa e mostre que você também é um corajoso “experimentador”.


Camila Pavam

Camila Pavam

Sou mãe do Pedro e do Lucas. Nutricionista especialista em Nutrição Materno Infantil. Me apoderei da palavra nutrir para falar daquilo que alimenta a mente e o coração. Para despertar em nós uma maternidade leve e prazerosa, capaz de nutrir verdadeiramente a essência das nossas crianças e construir um futuro de abundância e prosperidade. 

@camilapavam.nut

Receba nossas novidades por e-mail